Blog
11. jul de 2018
DICAS HELP,Saúde,Urgência,Vida

Emergência ou urgência? Qual a diferença entre as duas?

Aqui na Help, nossa equipe faz mais de mil atendimentos por mês em todo o estado de Santa Catarina. São mais de mil pessoas que estavam em situações de emergência ou urgência e que precisaram de atendimento.

Mas você sabe a diferença entre uma urgência e uma emergência?

Apesar de muito parecidas, as duas palavras têm significados distintos na área médica e é importante que nossos conveniados fiquem por dentro dessas diferenças. Uma emergência acontece quando estamos em uma situação crítica que envolve perigo iminente, podendo haver risco de morte. Em uma emergência, é preciso intervenção médica rápida ou até mesmo cirurgia.

São exemplos de emergência: cortes profundos, hemorragias, desmaios e paradas cardíacas e respiratórias.

“A emergência é um atendimento que apresenta risco iminente de vida e exige tratamento imediato para manter as funções vitais e evitar complicações graves”, explica a Dra. Rosilane de Oliveira, médica e diretora técnica da Help. Com mais de 15 anos de experiência na área, ela dá outros exemplos de emergência. “Afogamentos, choques elétricos e politraumatismos também são considerados casos que exigem pronto atendimento”, explica a profissional.

Já as urgências acontecem quando o quadro do paciente apresenta sintomas incessantes como dores de cabeça e na região torácica, náuseas, vômitos e febre alta e repentina. Outros exemplos comuns de urgência são as entorses e luxações.

“As urgências são casos que não envolvem risco de vida iminente, mas precisam de atendimento com brevidade para evitar agravamento”. A Dra. Rosilane cita como urgências mais comuns as fraturas e os cortes sem grandes hemorragias, cálculos renais e crises hipertensivas.

Independente da gravidade do caso, a diretora ressalta que é preciso que o cliente tente se manter calmo no momento de ligar para a Help. “Nossos médicos têm muito conhecimento técnico e habilidade para avaliar cada caso de acordo com os sintomas informados. Se não forem identificados sinais e sintomas de emergência ou urgência, o paciente vai ser orientado a fazer uso da medicação sintomática ou realizar exames laboratoriais. Em nossa central de atendimento, vamos monitorá-lo a cada 60 minutos para verificar se houve mudança no quadro”, completa a Dra. Rosilane.

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.