Blog
02. abr de 2018
Institucional

Atletas apoiados pela Help são destaques no jiu-jitsu

O esporte é um dos caminhos para uma vida saudável e quando incentivado desde a infância, os resultados da atividade física podem surpreender. Este é o caso dos irmãos Danielle e Rodrigo Vieira Marchetti Dias, de 12 e 7 anos, atletas catarinenses de jiu-jitsu que têm apoio da Help. “O Rodrigo começou aos 4 e um ano depois já estava competindo. A Danielle primeiro escolheu a dança, mas depois veio treinar e não parou mais”, recorda Daniel Marchetti, pai da dupla de lutadores.

Incentivados em casa e orientados pelo mestre Alexandre Araújo, os dois já alcançaram resultados expressivos nos tatames. Rodrigo é campeão brasileiro e vice-campeão mundial na categoria até 25kg. Danielle é campeã brasileira, mundial e foi vice do Brasil Open, todas as conquistas na categoria até 37kg.

Jiujitsu-1

Para este ano, a meta é manter os bons resultados obtidos em 2017. Os próximos desafios para os irmãos já têm data marcada. No dia 14 de abril, os dois disputam o Campeonato Brasileiro pela CBJJE (Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu Esportivo) em Balneário Camboriú. No fim do mesmo mês, a batalha será em São Paulo, durante o Campeonato Brasileiro da CBJJ (Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu).

Além dos progressos no esporte, Daniel é testemunha da mudança que a luta proporcionou aos dois filhos. “Hoje o Rodrigo é muito mais tranquilo. O jiu jitsu é um complemento sensacional para a educação dada em casa e na escola”, garante o pai. Já para Danielle, o esporte a ajudou a ser mais confiante. “Antes, eu era muito tímida e quieta”, recorda a atleta.

Jiujitsu-4

Alexandre Araújo, mestre que comanda a academia Araújo Jiu-Jitsu, confirma a evolução dos irmãos e dá a receita. “Não há mágica. Os resultados são frutos de um trabalho conjunto da família, escola e academia”. Enquanto acompanha o progresso dos filhos, Daniel busca apoio para custear as despesas com passagens e inscrições nos diversos torneios que Danielle e Rodrigo participam. “Mandei mais de 200 e-mails, mas somente a Help e a empresa onde trabalho ofereceram ajuda”, declara Daniel. Segundo ele, apoiar o esporte amador não é tão caro e traz resultados importantes. “Qualquer apoio é bem-vindo, seja para pagar uma passagem ou uma inscrição de campeonato”, finaliza.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.